News

NiusCup na Universidade!

Tue 9th Apr 2019 - 3:14pm News E-Sports

Isso mesmo! Essa semana a NiusCup foi parte do tema em uma palestra sobre E-Sports no evento de Direito Esportivo na PUC do Rio de Janeiro. A apresentação teve como objetivo fazer com que os alunos de direito debaterem sobre quais as questões jurídicas que podem ser melhor desenvolvidas nessa área.

O palestrante João Gabriel Thiebaut Jardim, é formado em engenharia pela PUC e cursa mestrado, foi convidado como um exemplo de praticante de E-Sports.

- Meu objetivo foi apresentar a minha experiência com E-Sports e ajudar os estudantes a entender esse mundo. Dentro desse contexto da minha experiência com E-Sports, que se baseia na prática de Rocket League” - explicou João.

 

Por que a NiusCup?

A organização é conhecida por seus eventos de Rocket League e João, inicialmente, escolheu a NiusCup, pois foi participante de uma de suas competições. Sua intenção era contar sobre como foi jogar em um campeonato do porte da NiusCup.

- Sempre achei o projeto e a trajetória do Nius muito inspiradores e resolvi que seria interessante contar um pouco disso também. Usei o material disponível no site da NiusCup como fonte e, com essa história, contextualizei os alunos do cenário de Rocket no Brasil.  Achei inclusive que ia ser interessante contrastar a NiusCup com a Grand Series, que agora representa a RLCS na América Latina. Seriam dois exemplos da minha experiência e ao mesmo tempo 2 casos bem diferentes para ilustrar bem como os E-Sports funcionam.

 

A platéia era composta não só por alunos, como também por alguns professores, um deles era o organizador Professor Job Eloisio Vieira Gomes. João contou que a reação do público foi muito interessante, pois a maioria não conhecia muito sobre o mundo dos E-Sports e ficou impressionada com os números apresentados.

- Gostaram da trajetória da NiusCup e acharam o projeto muito legal. O Professor Job, que trabalha com direito desportivo e tem livro publicado na área, gostou muito. Ele não conhecia os detalhes do mundo dos eSports e ficou muito interessado.

 

João contou que, no geral, a apresentação provocou bons debates sobre os aspectos legais dos E-Sports, afinal o Brasil possui apenas um projeto de lei sobre o assunto, que nem chegou a ser aprovado.

Em sua pesquisa constatou que os E-Sports não são reconhecidos oficialmente no Brasil, mesmo com a existência de vários times profissionais dentro do país.

Sabemos que grandes marcas como a Kabum (e-commerce voltada para eletrônicos), e times de futebol tradicionais como Flamengo, Corinthians e Santos possuem equipes de E-Sports, estas que funcionam sem nenhum tipo de regras específicas para a área a nível jurídico.

- Os alunos ficaram curiosos para saber das condições que os jogadores ficam dentro dos times, como são os contratos desses jogadores com os seus time, como funcionam as inscrições e regras de cada campeonato, e querendo saber se existiam regulamentos bem detalhados, como são trabalhados os direitos de imagens dos jogadores que podem possivelmente aparecer em transmissões dos jogos - e acrescentou - Isso pode gerar problemas se não bem determinado e acordado entre os jogadores e organizações.

- Acho que eles tinham uma visão mais tradicional que videogames seriam apenas uns joguinhos sem mérito. Quando viram os números de visualizações da TwitchTV, patrocinadores envolvidos, empresas grandes como donas de times, e valores das premiações, ficaram surpresos.

- O próprio professor Job comentou que os números que eu estava apresentando exclusivamente do Rocket League, como número médio de jogadores (que peguei de reports do ano passado, então possivelmente tem mais jogadores), só foi conquistado pelo futebol tradicional depois de muitas décadas desde sua concepção. Ele afirmou que os E-Sports crescem bem mais rápido, e que sao, nao apenas o futuro dos esportes, como uma área muito importante para os alunos de direito que tenham interesse. Os jogadores, times e organizações trabalham com assuntos importantes e precisam ou vão precisar em algum momento de apoio legal. Ele ressaltou que do pouco que sabia, Rocket League já parecia ser maior que outros esportes oficialmente reconhecidos pelo Brasil. E que isso era um atraso pelo nosso país.

 

A apresentação de João ocorreu no período da manhã, às 7 horas, porém a paixão pelos E-Sports não deixou que o horário fosse um empecilho.

- Como apresentador, foi muito legal. Eu adoro Rocket League, adoro o cenário competitivo, adoro acompanhar as competições e, pessoalmente, acho a missão da NiusCup de fazer esse mundo prosperar, uma super iniciativa. Palestrei com prazer mesmo tendo que ter isso pra esse evento as 7 da manhã.

 

Apresentações como esta e os debates que elas geram são importantíssimos para que haja uma regulamentação em torno dos E-Sports, afinal vemos todos os dias casos de equipes que não dão suporte necessário aos seus jogadores e organizações que não pagam a premiação dos participantes.

Com leis protegendo organizações, jogadores e equipes, a carreira profissional dentro do E-Sports se tornará algo cada dia mais palpável para quem almeja a área.

kari

kari

Karina Torii

Your Comments

Please register or login to post comments